Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

Projeto que determina demissão de servidores por mau desempenho é criticado em audiência pública
terça-feira, 05 de dezembro, 2017

O serviço público passa por um processo de desmonte pelo atual governo, acusaram os representantes sindicais ouvidos em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) nesta segunda-feira (4) sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) 116/17 - Complementar, que determina a demissão de funcionários públicos por mau desempenho. Na Agência Senado

 

Eles se manifestaram contra a proposta, que permite a demissão de servidores públicos estáveis, concursados, por “insuficiência de desempenho”. O texto, da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), teve relatório do senador Lasier Martins (PSD-RS) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e estabelece que os servidores municipais, estaduais e federais dos três Poderes serão avaliados uma vez por ano com base em critérios como qualidade do serviço, atendimento ao cidadão, produtividade e responsabilidade.

 

Poderá ser exonerado quem receber notas inferiores a 30% da pontuação máxima por duas avaliações consecutivas ou tiver desempenho inferior a 50% em três das últimas cinco avaliações. O PLS 116/17 - Complementar agora está com o relator, senador Airton Sandoval (PMDB-SP) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), que fará nova audiência pública sobre a proposta.

 

Antônio Pereira Barbosa, da Federação de Fiscais de Tributos Estaduais, disse que o projeto tem "segundas intenções".

 

“Esse projeto não é necessariamente para punir servidor que esteja, por acaso, tendo desídia no seu trabalho. Ele está inoculando a iniciativa privada dentro do Estado, mais ainda do que nós já estamos assistindo”, afirmou.

 

O engenheiro Daro Piffer, do Sindicato dos Funcionários do Banco Central, atacou o desmonte do Estado no Brasil. Ele questionou a falta de critérios uniformes no projeto de lei.

 

“Qual é a métrica da qualidade e da produtividade, se não for o próprio órgão que tem que definir a qualidade que ele necessita, qual o produto que ele quer entregar à sociedade?”, questionou.

 

Francelino das Chagas Junior, da Federação do Fisco Estadual e Distrital, disse ser necessária uma nova lei, uma vez que a legislação atual já define várias situações que podem levar à demissão do servidor público concursado. E citou alguns exemplos.

 

“Utilizar o cargo [em proveito próprio], atuar como cobrador junto a repartições, receber propina”, listou.

 

Ataque aos servidores

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse que a proposta fragiliza ainda mais a situação do servidor.

“Além de congelarem os seus salários, querem quebrar a estabilidade e a Previdência. Hoje a propaganda do governo bate no servidor público 24 horas por dia”, declarou.

 

Diap

Outras Notícias
 

Mesmo com votação suspensa, auditores fiscais mantêm mobilização contra a reforma da Previdência

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Justiça suspende cobrança por emissão de nota fiscal eletrônica na Paraíba

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Petrobras anuncia mudanças na divulgação do preço da gasolina e do diesel

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Câmara vota nesta segunda decreto da intervenção federal no Rio

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Greve do Fisco: Sindifisco-PB mobiliza auditoras e auditores

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Mobilizando do Litoral ao Sertão

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Fim da Previdência Pública

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Serviços fecham 2017 com queda de 2,8%, segundo IBGE

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Servidores da UFPB vão parar na segunda-feira

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Página 1 de 369 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]