Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

Comissão aprova proposta que inclui na lei da improbidade administrativa gestores que atrasarem salários
quarta-feira, 06 de dezembro, 2017

A proposta que torna crime de improbidade administrativa o não pagamento ou o parcelamento dos salários dos servidores públicos ainda vai ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça

 

A Comissão de Trabalho da Câmara aprovou proposta (PL 3883/15) que inclui na lei da improbidade administrativa os gestores que atrasarem os salários dos servidores públicos.

 

O texto inclui também os subsídios, as gratificações ou os adicionais de qualquer natureza. O texto também inclui como improbidade administrativa o pagamento parcelado dos salários.

 

A relatora na comissão, deputada Erika Kokay, do PT do Distrito Federal, lembrou que o poder público tem que honrar seus compromissos, principalmente em relação aos servidores públicos.

 

"O Estado não pode simplesmente deixar de pagar o servidor público, deixar de pagar aquele que prestou um serviço para o próprio estado, ainda que contratado por terceiros. O Estado tem que honrar seus compromissos. Nós não podemos mais permitir que o Estado atrase pagamentos, escalone pagamentos ou faça o que quiser como se não tivesse a obrigação de estar cumprindo com seus deveres."

 

O diretor da Fenafisco, Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, Celso Malhani, explicou que atualmente cinco estados estão atrasando o pagamento dos salários de seus servidores: Rio de Janeiro, Sergipe, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte.

 

Para Celso Malhani, ao escolher não pagar o servidor, o gestor acaba cometendo improbidade administrativa.

 

"Se nós tivéssemos uma lei que reconhecesse a improbidade administrativa de quem se candidata para administrar um estado, para cumprir a lei e as obrigações desse estado, em especial aquela com o serviço público que atende a sociedade, justamente aqueles mais necessitados dependem do serviço público. Então a pessoa que se propõe a fazer isso, materialmente incorre em improbidade quando escolhe o que vai pagar e dentro da sua escolha, escolhe não estar cumprindo a obrigação alimentar junto ao servidor público."

 

A proposta que torna crime de improbidade administrativa o não pagamento ou o parcelamento dos salários dos servidores públicos ainda vai ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça. Aprovada na CCJ, o texto segue para apreciação do Plenário da Câmara.

 

Agência Câmara Notícias, 6-12-2017

Outras Notícias
 

Mesmo com votação suspensa, auditores fiscais mantêm mobilização contra a reforma da Previdência

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Justiça suspende cobrança por emissão de nota fiscal eletrônica na Paraíba

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Petrobras anuncia mudanças na divulgação do preço da gasolina e do diesel

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Câmara vota nesta segunda decreto da intervenção federal no Rio

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Greve do Fisco: Sindifisco-PB mobiliza auditoras e auditores

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Mobilizando do Litoral ao Sertão

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Fim da Previdência Pública

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Serviços fecham 2017 com queda de 2,8%, segundo IBGE

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Servidores da UFPB vão parar na segunda-feira

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Página 1 de 369 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]