Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

TSE aprova autofinanciamento para eleições de 2018; resolução beneficia endinheirados
quarta-feira, 14 de fevereiro, 2018

Com a medida, que consta na Resolução 23.553, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os candidatos poderão usar o próprio dinheiro para conquistar votos, mas há limites claros de gastos para cada cargo. A decisão do Tribunal Eleitoral coloca, claramente, os candidatos ricos em vantagem na disputa do pleito de outubro. Desse modo, o fim do financiamento empresarial de campanha, aprovado pelo Supremo Tribunal Federal, em 2015, torna-se, em princípio, inócuo.

 

O candidato à Presidência da República pode gastar até R$ 70 milhões. Governadores têm limite que varia de acordo com o tamanho do estado. O valor vai de R$ 2,8 a R$ 21 milhões. Essa variação de acordo com o número de eleitores também vale para os candidatos ao Senado, mas os valores máximos são de R$ 2,5 a R$ 5,6 milhões.

 

Campanhas proporcionais

Para os deputados, os limites de gastos são mais baixos. Deputados federais podem investir R$ 2,5 milhões em suas campanhas, enquanto deputados estaduais têm limite de R$ 1 milhão.

 

Nas campanhas de 2014, os 513 deputados federais eleitos declararam patrimônio médio de R$ 2,5 milhões, exatamente o teto para o autofinanciamento de campanhas em 2018. Este dado é do jornal Valor Econômico, que lembra que João Doria Jr. eleito prefeito de São Paulo no 1º turno das eleições de 2016, investiu R$ 4,4 milhões na sua campanha.

 

As doações só podem ser aceitas pelos candidatos quando forem enviadas por pessoas físicas. Os valores precisam respeitar o limite de 10% do rendimento bruto do doador em 2018. Quem aceitar mais do que isso estará sujeito à multa. O CPF do doador deve ser propriamente informado para que a doação seja feita nos termos da nova resolução.

 

Até 5 de março, o TSE ainda pode definir mais regras para as eleições de 2018.

 

PT e PSB questionam

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), informou nesta terça-feira (13), em sua conta no Twitter, que o partido questionará a decisão do TSE sobre o autofinanciamento eleitoral por parte dos candidatos. A possibilidade de bancar a campanha beneficia os postulantes mais ricos, lembra Pimenta.

 

"O Brasil é uma democracia ou uma plutocracia? Quem tem dinheiro pode tudo? Acabamos com o financiamento empresarial e agora quem for milionário poderá financiar 100% da sua campanha? O PT vai questionar isso e o @TSEjusbr tem até o dia 5 para decidir", escreveu o parlamentar.

 

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), também bateu duro na resolução do TSE. "Derrubamos ano passado o veto q liberou o autofinanciamento! Pq o TSE traz isso de novo?! Por mais que tentemos, as eleições ainda serão dominadas por quem tem dinheiro?! É um atentado contra a democracia popular", afirmou.

 

Outro partido que também vai questionar a resolução é o PSB. A legenda vai tentar reverter no Supremo a decisão do TSE. (Com agências)

 

Portal Diap 

 

Outras Notícias
 

Mesmo com votação suspensa, auditores fiscais mantêm mobilização contra a reforma da Previdência

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Justiça suspende cobrança por emissão de nota fiscal eletrônica na Paraíba

terça-feira, 20 de fevereiro, 2018

Petrobras anuncia mudanças na divulgação do preço da gasolina e do diesel

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Câmara vota nesta segunda decreto da intervenção federal no Rio

segunda-feira, 19 de fevereiro, 2018

Greve do Fisco: Sindifisco-PB mobiliza auditoras e auditores

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Mobilizando do Litoral ao Sertão

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Fim da Previdência Pública

domingo, 18 de fevereiro, 2018

Serviços fecham 2017 com queda de 2,8%, segundo IBGE

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Servidores da UFPB vão parar na segunda-feira

sexta-feira, 16 de fevereiro, 2018

Página 1 de 369 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]