Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

Mercado prevê inflação de 4,01% e alta de 2,53% no PIB para este ano
segunda-feira, 21 de janeiro, 2019

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve ficar em 4,01% este ano. Essa é a previsão de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) todas as semanas sobre os principais indicadores econômicos.

 

Na semana passada, a projeção para o IPCA estava em 4,02%. A estimativa segue abaixo da meta de inflação (4,25%), com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, este ano.

 

Para 2020, a projeção para o IPCA segue em 4%, há 81 semanas seguidas. Para 2021 e 2022, a estimativa permanece em 3,75%.

 

A meta de inflação é 4%, em 2020, e 3,75%, em 2021, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

 

O BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, para alcançar a meta da taxa inflacionária.

 

De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano e continuar a subir em 2020, encerrando o período em 8% ao ano, permanecendo nesse patamar em 2021 e 2022.

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic para conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Quando o Copom diminui a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

 

A manutenção da taxa básica de juros indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

 

Atividade econômica

O mercado financeiro reduziu a projeção para o crescimento da economia, este ano. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,57% para 2,53%. Para o próximo ano, a expectativa subiu de 2,50% para 2,60%. Em 2021 e 2022, a projeção segue em 2,50%.

 

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar caiu de R$ 3,80 para R$ 3,75 no final deste ano. Para 2020, a previsão passou de R$ 3,80 para R$ 3,78.

 

Agência Brasil

Outras Notícias
 

PEC 6/2019: Fenafisco critica reforma da Previdência na Câmara

sexta-feira, 22 de fevereiro, 2019

Declaração do IR deve ser entregue entre 7 de março e 30 de abril

sexta-feira, 22 de fevereiro, 2019

Entidades sindicais se reúnem com o relator da ADI 2.238 no STF

sexta-feira, 22 de fevereiro, 2019

Atenção, servidores! Sua remuneração poderá diminuir em breve!

quinta-feira, 21 de fevereiro, 2019

Comissão estuda Decretos da Progressão e do PDRH

quarta-feira, 20 de fevereiro, 2019

Câmara aprova suspensão de decreto sobre sigilo de documentos

quarta-feira, 20 de fevereiro, 2019

BR 101: Receita Estadual realiza operação conjunta com Fisco Potiguar de combate à sonegação fiscal

quarta-feira, 20 de fevereiro, 2019

Entenda as regras de transição previstas na reforma da Previdência

quarta-feira, 20 de fevereiro, 2019

Combatendo a sonegação fiscal

segunda-feira, 18 de fevereiro, 2019

Página 1 de 409 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]