Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

De salários a lei de greve: reforma administrativa propõe novo serviço público
quinta-feira, 03 de setembro, 2020

Bolsonaro anunciou que entregará texto da matéria nesta quinta-feira. No Congresso, tema divide parlamentares

 

Após adiamentos, pedidos de demissão na equipe econômica de inconformados com a demora, pressão externa e um longo período na gaveta, a entrega da reforma administrativa, anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para esta quinta-feira (3/9), enfim deflagra o processo para algo que o governo insiste desde muito cedo: criar um novo serviço público.

 

Mexer no mecanismo da estabilidade – mesmo que apenas para futuros servidores –, alterar progressão das carreiras e mudar estrutura dos salários, regulamentar lei de greve e arrochar avaliações de desempenho envolve interesses e variáveis que não combinam e colocam em lados antagônicos servidores, governo e parte do Congresso.

 

A discussão promete elevar a tensão e ser mais um termômetro da força de Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no Congresso.

 

Para tentar diminuir a intensidade da briga, o governo prepara a divisão da proposta em ao menos três fases, deixando temas mais espinhosos para mais tarde – embora quais exatamente serão deixados para uma batalha seguinte só se saberá nesta quinta-feira (3/9).

 

Para se ter dimensão de como o assunto é radioativo, a entrega do texto-base foi adiada quatro vezes. Engavetada, desde janeiro a reforma está sob os cuidados do Palácio do Planalto e chegou a ser cogitada para apenas 2021.

 

Agora, o governo acredita na aprovação ainda em 2020. No Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira traz a mensagem do presidente com o envio da proposta ao Congresso Nacional.

 

O texto sempre foi defendido por Guedes como um dos passos para destravar a economia nacional. O governo trabalha para criar um consenso entre parlamentares e técnicos para que o texto não seja desfigurado. Contudo, não está livre de cizânia.

 

A proposta para os novos servidores públicos prevê exigência de dois anos em vínculo de experiência com desempenho satisfatório antes de estar investido em cargo público, fim do regime jurídico, das promoções ou progressões de carreira exclusivamente por tempo de serviço e da aposentadoria compulsória como punição. Parte do texto já foi adiantado pela Secretaria-Geral da Presidência da República.

 

Veja os principais pontos previstos para a reforma administrativa:

 

Estabilidade: fim da estabilidade para novos servidores, exceto em certos casos, para carreiras consideradas de Estado.

Carreiras: redução significativa do número de carreiras, que hoje ultrapassa 300. A estimativa é de que não passem de 30.

Progressão: fim da progressão automática por tempo de serviço.

Vínculo: exigência de dois anos em vínculo de experiência com desempenho satisfatório antes de estar investido em cargo público e começar o estágio probatório de um ano para os cargos típicos de Estado.

Contratação: criação de contrato de trabalho temporário e estímulo à contratação pela CLT por concurso.

Salários: aproximação entre os salários do funcionalismo e os do setor privado; redução dos salários de entrada e ampliação do prazo para chegar ao topo da carreira; vedação da incorporação de cargos em comissão ou funções de confiança à remuneração permanente; vedação de redução de jornada sem redução da remuneração.

Férias: vedação de mais de trinta dias de férias por ano.

Lei de greve: regulamentação da lei de greve no setor público, prevista na Constituição, com normas dificultando paralisações.

Regras: criação de novo Código de Conduta para o funcionalismo; vedação da aposentadoria compulsória como modalidade de punição.

Desempenho: regulamentação da avaliação de desempenho, também prevista na Constituição, e implantação de sistema adicional de avaliação, além do concurso, para certas carreiras.

Executivos: adoção de novo sistema de avaliação e seleção de altos executivos para o setor público.

 

Fonte: Metrópoles

Outras Notícias
 

Jovem empreendedor Brasileiro dirige Carta aberta aos parlamentares sobre a Reforma Administrativa

segunda-feira, 28 de setembro, 2020

Pública Central do Servidor – Carta à Globo

domingo, 27 de setembro, 2020

Agenda: atendimento presencial

domingo, 27 de setembro, 2020

Ex-secretário da Receita defende ajustes no sistema tributário

sábado, 26 de setembro, 2020

Videoconferência do Sindifisco-PB debate reforma da Previdência

quinta-feira, 24 de setembro, 2020

Proposta quer ampliar prazo para transação tributária relacionada ao Simples Nacional

quarta-feira, 23 de setembro, 2020

Governo destina R$ 10 bilhões para micro e pequenos empresários

quarta-feira, 23 de setembro, 2020

TST determina fim da greve nos Correios

terça-feira, 22 de setembro, 2020

Videoconferência: Previdência Estadual e os prejuízos aos servidores públicos

domingo, 20 de setembro, 2020

Página 1 de 477 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]