Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Notícia

Varejo paraibano cresce 10,6% em outubro, revela IBGE
sexta-feira, 11 de dezembro, 2020

Com o quarto mês consecutivo de expansão, o volume de vendas do varejo paraibano registrou crescimento de 10,6% em outubro sobre o mesmo período do ano passado, segundo Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o quarto mês seguido de alta acima de dois dígitos. Os meses de julho (11,6%), agosto (16,1%), setembro (12,7%) tiveram também forte expansão acima de dois dígitos. A Paraíba também apresentou alta nas vendas de outubro sobre setembro de 2,3%, bem acima da média nacional (0,9%).

 

No acumulado de janeiro a outubro, o varejo paraibano não apenas zerou as perdas das vendas no ano, mas já acumula elevação de 4,1% sobre o mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a outubro, é o sexto melhor resultado do País e um dos três estados do Nordeste que apresentam alta no indicador sobre o ano passado, ao lado do Maranhão (6,9%) e do Piauí (4,8%). Os outros cinco estados da Região continuam acumulando no negativo no ano.  

Comércio ampliado segue crescendo – O cenário do comércio varejista ampliado da Paraíba, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, também registrou alta pelo quarto mês consecutivo sobre o ano anterior. Em outubro, o índice foi de 9,4% sobre o ano passado, acima novamente da média nacional (6%). Nos meses de julho (8,8%) e agosto (8,8%), as taxas de crescimento foram iguais, enquanto setembro foi de 8,2%.

Frente a outubro de 2020, houve resultados positivos em 26 das 27 Unidades da Federação. As maiores altas foram Piauí (23%), Acre (18,2%); Maranhão (17,8%); Rondônia (17,5%), Amazonas (15,4%). A Paraíba teve o 12º maior índice do País (10,6%) também acima do nacional (8,3%).

 

Avaliação do índice – De acordo com o gerente da pesquisa do IBGE, Cristiano Santos, “esse resultado de outubro mostra um repique para cima, que precisamos ter cuidado para avaliar como uma retomada da aceleração. No mínimo, mostra um folego da economia num patamar que já estava alto”. Segundo o gerente, os principais fatores de influência no atual desempenho do comércio são a oferta maior de crédito, juros mais baixos, e a renda extra do Auxílio Emergencial.

 

 

Portal Sefaz-PB


Outras Notícias
 

Como a eleição na Câmara afeta a reforma tributária

segunda-feira, 25 de janeiro, 2021

Medida do governo deixa o Imposto de Renda mais caro

segunda-feira, 25 de janeiro, 2021

Com reforma, carga tributária do varejo seria reduzida até pela metade

sexta-feira, 22 de janeiro, 2021

Reforma Tributária | Fenafisco participa de reunião com deputado Hildo Rocha

quarta-feira, 20 de janeiro, 2021

ARTIGO | Grandes fortunas, pequenos impostos

terça-feira, 19 de janeiro, 2021

Justiça determina retorno das cobranças de empréstimo consignado

segunda-feira, 18 de janeiro, 2021

Funcionários do BB paralisam atividades contra programa de demissão e fechamento de agências em João Pessoa

sexta-feira, 15 de janeiro, 2021

Nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

sexta-feira, 15 de janeiro, 2021

Agenda: atendimento presencial

sexta-feira, 15 de janeiro, 2021

Página 1 de 489 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]