Menu

(83)3044-3282 (JP)    (83)2102-0800 (CG)       Siga-nos

Ler Opinião

O retrocesso da Paraíba
Autor: Glauco dos Santos Gouvêa

O jornal Contraponto, em sua edição de 9 a 15 de agosto, trouxe interessante matéria do Corecon/Cofecon em homenagem ao Dia do Economista com o sugestivo título “As questões econômicas são objeto de atenção na Paraíba?”

A matéria inicia assim: “Podem ser elencadas algumas constatações de que as questões econômicas não mereceram e, ainda, não merecem a devida atenção: “ Prossegue com o detalhamento de 13 itens para comprovar que, do ponto de vista da economia, a situação da Paraíba é de total abandono.

É indispensável e urgente que a população  paraibana reflita sobre o tema e passe a agir imediatamente para pôr fim a tal estado de coisas.

Para conhecimento de quem não leu a matéria de que estamos tratando, transcrevemos a seguir alguns dos itens mencionados:

“Ausência de um Plano de Desenvolvimento Sustentável da Paraíba como um instrumento de governança. O último foi elaborado em meados da década de 90, projetando ações estratégicas para o período 1995-2010. Mesmo contando com a aprovação do renomado economista Celso Furtado não saiu do papel.”

“Numa estrutura organizacional com 27 secretarias de Estado, nenhuma delas está voltada para pensar estrategicamente em nossa economia, fundamentada em decisões e planejamento de longo prazo. A Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico e a Secretaria de Planejamento não cumprem esse papel.”

“Dois órgãos que poderiam preencher em parte essa lacuna: o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Paraíba (CDES-PB) subordinado ao Governador e instalado em 2010 com o objetivo de propor uma agenda para o novo ciclo de desenvolvimento da Paraíba; e o outro, o Conselho de Desenvolvimento Estadual – CDE subordinado a Secretaria de Planejamento. O primeiro não sobreviveu alguns encontros; o segundo, não se tem notícias de sua operacionalidade.”

“O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) instalado na Paraíba, em 2010, como a primeira sede do órgão federal no Nordeste, para, a partir da nossa posição estratégica, produzir análise e estudos na busca do desenvolvimento mais integrado da região nordestina, foi ignorado pelos nossos governantes e políticos tanto quando da sua chegada, como por ocasião da sua desativação no ano seguinte.”

“Em 2012, a bancada federal paraibana divulgou o Pacto pela união da Paraíba, como um fórum suprapartidário que defendia a atração de investimentos em todas as áreas do Estado, que seriam defendidos junto aos Ministérios do Governo Federal. Não foi além de ações midiáticas.”

“A falta de projetos econômico-financeiros de qualidade inibe o acesso aos recursos federais e de outras instituições nacionais e internacionais disponíveis.”

Esse é o panorama atual do retrocesso da Paraíba, o qual, pelo nível atingido, por incrível que possa parecer, tende a piorar. Não adianta esperar por promessas que não serão cumpridas nem por projetos que não serão executados. Nós, todos os paraibanos, temos que pôr a mão na massa. Já começo a fazer minha parte.

Outras Opiniões
 
Arranjo entre os três Poderes para desmonte do Estado

Autor: Antônio Augusto de Queiroz*

Reforma tributária: de quem para quem

Autor: Charles Alcantara

Impacto da Terceirização Irrestrita pode ser devastador

Autor: Alan Trajano*

A reforma da Previdência e os sonegadores

Autor:

REFORMA DA PREVIDÊNCIA extingue direito do trabalhador

Autor: Edmilson Blohen

Governo Temer inicia maior ataque contra o funcionalismo público

Autor: Diógenes Júnior

A alquimia da Previdência Social

Autor: *Por Camila Barros

Brasil marcha rápido para a depressão econômica

Autor: Marcos Verlaine*

Você está sendo roubado pela PEC 241

Autor: Maria Lucia Fattorelli

PEC 241/16 é aprovada, em primeiro turno, na Câmara.

Autor:

Ameaças da reforma previdenciária de Michel Temer

Autor: Antônio Augusto de Queiroz*

Tempos turbulentos para o funcionalismo público brasileiro

Autor: Christian de Azevedo,

Proteção dos Interesses do País

Autor: Nilton Paixão

Servidor Público, o maior patrimônio do Estado de Mato Grosso

Autor: Ricardo Bertolini

Dívida Ativa Tributária: onde paira a escuridão

Autor: Charles Alcântara

A importância da instituição da Lei Orgânica da Administração Tributária

Autor: Fernando Huber

Declaração de Amor ao Nordeste

Autor: Glauco dos Santos Gouvêa

Considerações sobre o TCM na Paraíba

Autor: Matheus de Medeiros Lacerda

Justiça tributária para fazer Justiça social

Autor: Décio Lima

O sindicalismo deve participar do processo eleitoral?

Autor: Antônio Augusto de Queiroz

Governadores em Perigo

Autor: POR JOSÉ ROBERTO TOLEDO

Os quarentas

Autor: Eduardo Varandas

A Emenda Constitucional n.º 42/03 e as administrações tributárias

Autor: Marcelo Figueiredo, Vladimir Rossi Lourenço e Rodr

O Preço da Passagem

Autor: Lecivaldo C L Lima

Quando a punição pesa no bolso

Autor: Wálter Maierovitch

Priorização da PEC 186/07

Autor: Glauco Gouvea

Se não há meio ambiente, não há economia

Autor: Marcus Eduardo Oliveira

A reforma do ICMS foi para a UTI

Autor: Ribamar Oliveira

MP da cesta básica: importante passo rumo à justiça fiscal

Autor: Álvaro Sólon de França

O Movimento Aguaceira é promessa de chuva nos corações

Autor: Adeildo Vieira

Página 1 de 9 [1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> ]